Lançamentos

Lançamento | Troá: Eu Não Morreria Sem Dizer

Lançamento exclusivo do disco Eu Não Morreria Sem Dizer do duo Troá.
Foto Divulgação por Gabriel Castilho

Eu Não Morreria Sem Dizer” é o nome do primeiro álbum do duo Troá, composto por Carolina Mathias e Manuella Terra, que estão há quase 10 anos tocando juntas, é muita estrada e muito talento. O disco vem para fechar um 2019 cheio de trabalho duro e para completar o repertório da dupla, já que em 2018 foi lançado o EP “Miolo”, com 7 faixas.

O trabalho será lançado apenas na segunda-feira dia 21/10, mas nós tivemos acesso exclusivo ao álbum e trazemos um pouco sobre todo o processo do disco e nossa impressão. Mas como tudo, vamos por partes.

Com Manuella na bateria e Carolina no baixo, teclas e assinando composições, o propósito foi fugir dos vícios que carregavam através de suas experiências musicais, por isso Nathanne Rodrigues (responsável pela mix e master) equilibrou variações rítmicas e se aventurou em experimentar várias influências de gêneros como TripHop, Folk, Forró e Reggae, inseridos principalmente no Rock, no Blues e na MPB. O resultado final foi capaz de estar acima de qualquer rótulo de estilo musical, trazendo uma sonoridade nova e versátil. Cada faixa consegue ser independente e, ao mesmo tempo, seguir uma fina linha que liga o trabalho de ponta a ponta.

As inspirações, como parte importante na produção de qualquer trabalho, ficou por conta de uma variedade de artistas, como Boogarins, O Terno, Far From Alaska, Baiana System até Heartless Bastards e Alabama Shakes. Cada elemento foi sendo construído aos poucos, com tentativas, provavelmente muitas falhas, depois reconstruído e assim por diante para chegar ao resultado que poderão ouvir: harmonia entre instrumentos acústicos, elétricos e eletrônicos, seja guitarras, baixos, sintetizadores, saxofone e percussão.

Foto Divulgação por Gabriel Castilho

Para Carol e Manu: “ENMSD nos coloca como senhoras do nosso tempo, das nossas escolhas, dos nossos corpos e sonhos”. São 13 faixas de pura aflição, dúvida, raiva, força, euforia e prazer. “O processo de composição foi um exercício de priorizar os sentimentos mais fortes e sinceros, sejam eles positivos ou negativos, porque acreditamos que a música é uma companhia que não pode se restringir só a determinadas ocasiões.”

O disco ecoa. Ecoa em nossos ouvidos, em nossos pensamentos, em nosso sentir e entender uma música como ela é. Pura, viva, vibrante, para fechar os olhos e viajar por sensações que só ouvindo um artista pela primeira vez consegue proporcionar. Além de sensível, tudo se mostra muito forte, seja pela voz entoada que é muito marcante ou pelas letras que mostram dores, sentimentos, prazeres, decepções.

As coisas foram se encaixando e fluindo, como se fosse tudo natural, mas com certeza não é. É empenho, talento. Transpiração acima de tudo. São quase 10 anos juntos, é sintonia já sistemática e um time talentosíssimo ao lado. Além de Nathanne, o álbum teve participações de outros excelentes nomes que são, também, uma inspiração para o duo.

A canção “Ímpeto”, que já tinha sido lançada como single, contou com a voz intensa de Chico Chico; Cristine Ariel (El Efecto) trouxe sua guitarra para 3 faixas do disco; Dedé Teicher (Scracho/Multishow) traz ainda mais leveza no ukulele e nas vozes de “Nasce Morre Só”; já Larissa Conforto (Ventre/ÀIYÉ) garantiu seus beats e voz na música “Tobogã”, que é a mais eletrônica do disco, mas extremamente sensual e com um groove incrível da guitarra de Cristine Ariel.

As fotografias para divulgar o trabalho e a capa do disco ficaram incríveis demais, trabalho feito por Gabriel Castilho (fotógrafo e designer) que também acompanha o duo fazendo as partes visuais.

Capa do Disco

Agora, depois de ouvir algumas vezes e a poeira da emoção baixar, posso dizer que este álbum é lindo. É forte, sensível, vibrante e foi além. Uma bateria intensa de sentimentos expressos nas canções que conseguimos captar muito bem e até mesmo sentir essa excitação. O show deste disco com certeza será incrível.

Pré-Save

Acesse o link para se inscrevam na Pré-save do álbum “Eu Não Morreria Sem Dizer” e conseguir ouvir uma faixa inédita em exclusivo, além de ser notificado quando o disco foi liberado:

https://show.co/BZ5acOm

Eu Não Morreria Sem Dizer” está sendo lançado pela PWR Records, um selo, produtora e agência que está na estrada desde 2016 e é comandado apenas por mulheres. Está presente em Recife, São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre, sempre lutando para incluir e valorizar as mulheres no mundo da música para que sejam ouvidas e mostrem seu talento artístico em todos os cantos do país.

_________________________________

SHOW DE LANÇAMENTO

Show de 3 anos da PWR Records

Eu Não Morreria Sem Dizer” tem show de lançamento em São Paulo, dia 2 de Novembro, no Z – Largo da Batata. Na mesma noite de lançamento do disco “Sobre os Prédios que Derrubei Tentando Salvar o Dia”, da banda também carioca Def. Ambos são lançamentos PWR Records, que comemora seus 3 anos.

Link do evento PWR | 3 anos: Def e Troá no Z:

https://www.facebook.com/events/2440468366212236/

Link para compra de ingressos antecipados:

https://www.ingresse.com/pwr3anos-def-troa-z

Leia Também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: