Lançamentos resenha

Resenha – Álbum | TARDA: Futuro

O disco é uma viagem, afinal o futuro é uma viagem. Porém, ao mesmo tempo que toda essa aura sonora é futurista, também traz uma carga muito grande da avant-garde dadaísta. “Futuro” é a junção do passado com o póstero que se materializou no presente.
Foto Divulgação por Randolpho Lamonier.

Futuro” é o nome do disco de estreia do projeto audiovisual TARDA.

Futuro

Substantivo masculino. Tempo que está por vir, que se segue ao tempo presente.

[Figurado] Sucessão de situações e acontecimentos que não se pode evitar; destino.

Futuro é o que está à frente. Mas pode ser logo ali na frente, em questão de segundos. E ao dar play em “Futuro” ele não se torna presente, continua sendo o utopismo sonoro cheio de experimentações que vão até além da música.

TARDA coloca em cheque os moldes tradicionais da música, na verdade não coloca, eles quebram esses moldes. São composições de linhas que se juntam e podem muito bem causar incômodo na maioria das pessoas, afinal, música é para causar incômodo ou qualquer tipo de reação que te faça sentir aquilo de uma forma diferente, não é mesmo?

As camadas são sobrepostas a todo instante. A sonoridade extremamente urbanizada abusa dos ruídos, é uma doidera instrumental louca, mas muito bem organizada. Nossa mente também anda insanamente perturbada, como a de cada um desses músicos, a diferença é que nós, muitas vezes, somos extremamente incapazes de transferir isso para outra esfera, mas TARDA conseguiu transportar isso para a arte muito bem.

Veja o clipe da canção Breath

Falar em experimentalismo parece sempre algo vago. Pois pode parecer que qualquer barulho é experimental e que qualquer pessoa pode fazer. Mas e o conceito, planejamento e estudo, onde entram?

Isso a TARDA fez muito bem. Nada foi sem pretensão, tudo foi muito bem pensado. Por isso “Futuro” é completo, quase um disco pós-apocalíptico com suas sonoridades algumas vezes perturbadas e outras completamente acalentadoras.

A melancolia percorre todo o disco. Junto a ela, delírios e tempestades criam as imagens que se alucinam em nossa mente a todo instante. Muitas dessas alucinações são produzidas pela própria banda, TARDA é um projeto audiovisual multiplataforma, onde os artistas se utilizam de mídias digitais e analógicas para criação de vídeos, fotografias, ilustrações, desenhos e músicas. Confira mais acessando o site https://www.tarda.com.br.

O Disco

Capa do disco por Randolpho Lamonier.

As gravações de “Futuro” se iniciaram em 2018 e foram finalizadas em 2020, passando pelos estúdios caseiros Quarto Intergaláctico em Belo Horizonte, com gravações adicionais feitas no estúdio Frango no Bafo em Belo Horizonte e no Estúdio-coisa em São Paulo.

A mixagem é assinada por Victor Galvão e a masterização por Lina Kruze. O álbum conta com 11 faixas que transitam entre o shoegaze e o dream pop, com influências do post-rock. Entre algumas das referências sonoras, destacam as bandas Slint, Low, Warpaint e Beach House.

TARDA é Julia Baumfeld, Paola Rodrigues, Randolpho Lamonier, Sara Não Tem Nome e Victor Galvão.

O disco é uma viagem, afinal o futuro é uma viagem. Porém, ao mesmo tempo que toda essa aura sonora é futurista, também traz uma carga muito grande da avant-garde dadaísta. “Futuro” é a junção do passado com o póstero que se materializou no presente.

______________________________________

Encontre a Banda:

Ouça o Disco:

Leia Também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: